“São as águas de março fechando o verão...”: chuvas e políticas urbanas nas favelas cariocas
PDF

Palavras-chave

desastres
favelas
Rio de Janeiro – chuvas e enchentes

Como Citar

GONÇALVES, R. S. “São as águas de março fechando o verão...”: chuvas e políticas urbanas nas favelas cariocas. Acervo, v. 28, n. 1, p. 98-119, 8 maio 2015.

Resumo

Se grandes enchentes aconteceram com frequência no decorrer do século XX, algumas tornaram-se uma referência na memória carioca. O presente artigo sublinha o papel das “chuvas de verão”, enquanto agente ambiental de impacto na cidade, analisando as chuvas de 1966/67, 1988 e 2010. A hipótese central repousa na ideia de que as chuvas, em diferentes ocasiões, suscitaram forte debate público, sobretudo em relação às favelas, mobilizando discursos e recursos, que impuseram mudanças no modo de agir dos poderes públicos nesses espaços, tanto em termos de formulação de políticas públicas, como de novas técnicas de intervenção nessas áreas.
PDF

Creative Commons License

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença  Creative Commons 4.0 Internacional