É o que eu vou fazer! Feminismos possíveis na adaptação cinematográfica de Mulher Maravilha
PDF

Como Citar

DO CARMO DALBETO, L.; CARLOS MARQUES, J. É o que eu vou fazer! Feminismos possíveis na adaptação cinematográfica de Mulher Maravilha. Acervo, v. 33, n. 2, p. 186-206, 30 abr. 2020.

Resumo

Amparado pela teoria feminista do cinema e pela perspectiva de discurso de Foucault, este artigo apresenta uma leitura das possíveis manifestações feministas do filme Mulher Maravilha (2017). Adota-se como premissa a afirmação de Zoe Williams, que o entende como um ato feminista. Acredita-se que o filme promova um pequeno rompimento na hegemonia dessas produções, porém ainda está inscrito na lógica de consumo.

 

PDF

Creative Commons License

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença  Creative Commons 4.0 Internacional